Alimentos NÃO Saudáveis – Parte 2

Continuando com uma pequena lista dos alimentos que fazem muito mal a nossa saúde.

Não por seus constituintes químicos somente; mas, principalmente pela frequência de uso.

O desconhecimento dos males gerados pelo consumo constante desses produtos tem contribuído para tantos diagnósticos de doenças crônicas e degenerativas que podem ser evitadas com cuidados simples e melhores escolhas.

6) ÓLEOS VEGETAIS (soja, milho, canola, girassol, gergelim)

Nossos antepassados consumiam somente gordura animal e vegetal naturais, porém após a invenção dos óleos vegetais refinados, e o marketing de serem saudáveis, estes foram se tornando os principais e mais consumidos.

Um dos fatores que promoveram os óleos vegetais foi o fato de não ter colesterol, além de pouca quantidade de gorduras saturadas, estas, responsabilizadas, inadequadamente, por causarem aumento de problemas cardiovasculares.

Mas, apesar da gordura animal não ser tão utilizada atualmente, os índices de obesidade e de problemas cardíacos só aumentam.

Um fator que torna o óleo vegetal seja nocivo é sua grande quantidade de ômega 6 que desequilibra o organismo e aumenta as inflamações, obesidade, câncer e doenças cardiovasculares.

Na era paleolítica o equilíbrio era de 2:1 (dois ômega para um ômega 3), atualmente a dieta ocidental apresenta uma relação de 17:1 (dezessete ômega  6 para um ômega  3)!

A proposta mais recente com base em experimentação animal é que seja de 1:1 (Fonte: Scielo/Revista de nutrição online ISS 1678-9865).

Não bastasse o excesso de ômega 6, esses óleos vegetais para serem fabricados passam por solvente e refinamento por extração química.

Isso explica porque consumir frituras e alimentos preparados com muito óleo faz mal a saúde.

Por essas razões evite o uso desses óleos no seu dia a dia.

 O que usar como substitutos:

Óleo de coco, óleo de abacate, azeite de oliva extravirgem, Ghee ou manteiga clarificada ou mesmo manteiga e gordura de porco.

Um exemplo de mudança em relação à discriminação contra gorduras animais é que o Ministério de Saúde do Japão eliminou a recomendação de limite de ingestão de colesterol em seu último guia alimentar de 2015, pois diz não haver evidências científicas suficientes para justificar esta limitação. Acesse a fonte original deste documento apresentado: Scientific Report of the 2015 Dietary Guidelines Advisory Committee

Referências:

1) Scientific Report of the 2015 Dietary Guidelines Advisory Committee;

2) http://cuidadosforever.blogspot.com.br/2013/12/a-verdade-nua-e-crua-sobre-os-oleos.html

3) Borges, M.C.; Santos , F. de M.M. dos; Telles, R.W.; Andrade , M. V. M. de; Correia , M. I. T.  D. e Lanna, C. C. D. Ácidos graxos ômega-3, estado inflamatório e marcadores bioquímicos de pacientes com lúpus eritematoso sistêmico: estudo piloto. Revista Brasileira de Reumatologia. 2017; 57(6):526–534.

7) QUEIJO FUNDIDO

Esse tipo de queijo também é chamado de processado ou pasteurizado, e sua fabricação e composição são muito diferentes do queijo de verdade.

Compare:

Ingredientes do queijo processado:

Queijo tipo estepe e/ou queijo mussarela e/ou queijo prato, manteiga, aroma idêntico ao natural de queijo cheddar, conservador: sorbato de potássio, sal fundente (ortofosfato de sódio, citrato de sódio, polifosfato de sódio e alginato de sódio) e estabilizante: fosfato trissódico.

Fica claro para visualizarmos quantos produtos químicos são adicionados no queijo processado

O que usar como substitutos:

Todos os tipos de queijos naturais, inclusive os amarelos (exceto para alérgicos, intolerantes ou pessoas que tenham algum problema respiratório ou muco excessivo).

Ingredientes do queijo mozzarella fresco:

Leite in natura pasteurizado, fermento láctico, coalho de origem animal e sal. Contém 40% de matéria gorda no extrato seco total.

8) CAIXINHA DE MORANGOS COM UM “PONTINHO  BRANCO”

 Você quer comer morango, mas a única caixinha que restou na prateleira do refrigerador do supermercado tem um pequeno morango com uma “pequena manchinha de bolor”… você compra, despreza o que está com a mancha e consome os outros.

Sabia que isso pode ser muito perigoso?!

O Mofo ou Bolor reconhecido por manchas brancas, verdes ou até pretas que se desenvolvem nos alimentos resultam da ação de fungos, e esses são em sua maioria maléficos; mas existem as exceções como os do queijo gorgonzola, por exemplo, que são propositalmente cultivados e colocados para gerar aquele sabor e consistência característicos.

O bolor que se forma nas frutas, como no morango, provavelmente já contaminou todos os outros da caixinha mesma que a olho nu não se perceba, pois soltam esporos (parece um pó fino que na verdade são as “sementes ”) que se espalham rapidamente.

Eles contêm toxinas que podem causar desde problemas respiratórios e alérgicos, até gerar câncer de fígado (existe a aflatoxina, bem conhecida e mais encontrada no amendoim e frutas secas…).

Então nada de reaproveitar alimentos que mofaram, cortar um pedaço ou lavar, não vai eliminar os fungos completamente pois ele se enraíza e se espalha no alimento.

E se torrar ou cozinhar os alimentos restarão as toxinas mesmo que os fungos morram.

O que usar como substitutos:

A dica aqui é: “Só compre frutas frescas e se não for utilizá-las, congele-as para que não estraguem e não mofem.”

9) SUCO DE CAIXA COM NÉCTAR DE FRUTA

 Por serem práticos, os sucos de caixinha vêm ganhando cada vez mais espaço nos lares em substituição aos sucos naturais.

Não deveriam ser nomeados de suco, pois não são sucos (sucos são frutas puras espremidas). Eles são, na verdade, néctar.

Atualmente, a exigência para ser considerado néctar é que 20 a 30% dele seja composto por polpa de fruta. O que faz com que não contenham quantidade expressiva de fruta. Além disso, passam por processo de pasteurização onde o líquido é exposto a alta temperatura e a grande maioria das vitaminas é perdida.

Também é utilizada uma enorme quantidade de açúcar e xarope de milho nesses produtos, o que faz com que o teor de frutose e sacarose sejam elevados (são muito prejudiciais a saúde pois aumentam chances de esteatose hepática ou gordura no fígado, resistência insulínica, diabetes, ganho de peso…).

Um exemplo do excesso de açúcar que os consumos desses néctares podem adicionar ao seu cotidiano sem você perceber é:

1) Se você consumir 1 lata de néctar após o almoço e após o jantar, no final do dia terá consumido 7 colheres de (sopa) de açúcar.

2) em uma semana consumirá mais de ½ kg de açúcar.

3) Em 1 mês quase 2 kg e em 1 ano pode ganhar até 15 kg na balança.

Essa é uma simulação para esclarecer como líquidos adoçados podem te prejudicar sem você perceber.

Falamos sobre os “sucos” de caixinha, mas vale também para refrigerantes ou qualquer líquido adoçado.

E até mesmo os sucos naturais de algumas frutas puras podem gerar os problemas de saúde acima mencionados.

 O que usar como substitutos:

O melhor substituto sempre será a água.

10) BARRINHA DE CEREAL

 Quando você pensa em algo prático e saudável para levar na bolsa ou ao trabalho o que vem à sua cabeça? Barrinhas… pode parecer bom, mas atenção…além de não terem quantidades relevantes de fibra ainda estão cheias de carboidratos como grãos e pior, açúcar e/ou xarope de milho…

Outro detalhe importante para avaliar é se existe em sua composição a gordura vegetal hidrogenada, muito usada no chocolate da maioria desses produtos, cheia de gordura trans que “aumenta estoques de gordura na barriga”, a pior das gorduras.

O que usar como substitutos:

Oleaginosas (castanhas), sementes (girassol, abóbora, chia…), coco fresco, abacate, morangos, mirtilos, framboesas…, caldo de ossos, caldo de galinha, café que mata a fome (café com manteiga ou nata ou óleo de coco).

11) EMPANADOS DE FRANGO

Parecem ser peito de frango empanados, mas na realidade são uma mistura de partes de frango, pele, leite em pó e farinha prensados.

E para piorar é adicionada a essa mistura o glutamato monossódico que realça o sabor e abre o apetite “viciando” o paladar por alimentos desse tipo.

Ainda se acrescentam conservantes a essa mistura E mesmo que se asse os empanados ao invés de fritá-los essa fonte de proteína, tão importante para o desenvolvimento e manutenção dos músculos, nunca será uma proteína pura, pois tem todos esses aditivos.

Por essa razão vale a pena fazer em casa ou usar os substitutos abaixo.

O que usar como substitutos:

Ovos de galinha, ovos de codorna, carne moída, filé, frango cozido, desfiado… Ou empanado feito em casa (deixe congelado se precisa de praticidade).

Empanado de Frango Caseiro:

Ingredientes:

600 gramas de filé de peito de frango

1 cebola

2 dentes de alho

Pimenta do reino

Sal a gosto

E se desejar pimenta calabresa

Para empanar:

2 ovos batidos com 2 colheres de sopa de água

Farinha de frango (ou farinha de amêndoas, farinha de coco, farinha de castanha de caju…).

Modo de preparo:

Em uma centrífuga coloque todos os ingredientes (menos os de empanar) e bata até formar uma massa.

Se preferir empane os pedaços de peito diretamente, sem bater.

Retire da centrífuga e faça bolinhas, então achate-as para que fiquem em formato de “nuggets”.

Passe nos ovos batidos e em seguida na farinha.

12) BISCOITO ÁGUA E SAL

 E para finalizar, o tão falado e consumido biscoito cream cracker!

Muitas pessoas acreditam que os biscoitos de água e sal, por serem leves e secos são bem menos calóricos que um pão, mas é um engano.

Apenas 5 biscoitos desses equivalem a um pão francês ou a 2 fatias de pão de forma.

Por incrível que possa parecer, esses “inofensivos biscoitos” são ainda piores que o pão branco (mesmo os biscoitos na versão integral), porque contém gordura vegetal hidrogenada adicionada, sendo rico na temível gordura trans que aumenta a gordura na região abdominal e o risco cardíaco.

E como são feitas de farinha refinada e/ou com um pouco da integral, normalmente deixam o trânsito intestinal mais lento não favorecendo a eliminação das fezes.

Resumindo, são pobres em vitaminas, minerais e fibras, ricos em glúten, não saciam, propiciam o estoque de gorduras, pois elevam glicemia rapidamente e contém gorduras trans. Além de aumentarem a chance de elevar o colesterol “ruim” LDL e abaixar o “bom” HDL.

O que usar como substitutos:

Comida de verdade como: biscoitos feitos com sementes, receitas com farinha de coco, farinha de castanhas… receitas com baixa porcentagem de carboidratos, com alimentos naturais e gorduras boas.

 

Repense seus hábitos. Compartilhe conhecimento. Aproveite a vida ao máximo.

Deixe seu comentário.

Até breve!

 

Dra. Vânia Barboza

Deixar uma resposta